Você está em - Home - Artigos - Medição soro-alfa-fetoproteína materna na triagem pré-natal para anencefalia e espinha bífida no início da gravidez. Relatório do Reino Unido estudo colaborativo sobre alfa-fetoproteína em relação ao tubo neural defeitos.

Medição soro-alfa-fetoproteína materna na triagem pré-natal para anencefalia e espinha bífida no início da gravidez. Relatório do Reino Unido estudo colaborativo sobre alfa-fetoproteína em relação ao tubo neural defeitos.

Dezanove centros colaborado em um estudo para determinar a eficiência do soro materno-alfa-fetoproteína medição (AFP), como um método de rastreio para defeitos do tubo neural (DTN) entre 10 e 24 semanas de gravidez. Os dados foram coletados em 18 684 gestações únicas e 163 gemelares sem DTN fetais, e em 301 gestações únicas com DTN fetais (146 com anencefalia, 142 com espinha bífida, e 13 com encefalocele). A melhor época para a detecção de espinha bífida aberta medindo soro materno-AFP está em 16-18 semanas de gravidez. Na prática clínica, de soro de AFP de corte níveis expressos como múltiplos da mediana normal pode ser mais conveniente usar do que percentis porque são mais fáceis para derivar e mais estável. Além disso, a proporção de gravidezes afectadas com soro AFP níveis superiores a um múltiplo dado da mediana é improvável que variam significativamente de centro a centro ou ao longo do tempo. Em contraste, a proporção de gravidezes não afectadas com níveis de AFP superiores a um múltiplo dado da mediana normal irá variar dependendo da precisão com a qual soro AFP e gestação são medidos. Em 16-18 semanas de gravidez 88% dos casos de anencefalia, 79% dos casos de espinha bífida, e 3% de não afectadas gestações únicas tinham níveis de AFP iguais ou superiores a 2-5 vezes a mediana para não afectadas gestações únicas. Nesta idade de gestação os números de gravidezes não afectadas com níveis de AFP acima 2-5 vezes o normal mediana pode ser reduzida em cerca de um terço se as mulheres com níveis limítrofes AFP são novamente testados, embora isso não seria de grande alterar a detecção da velocidade gravidezes afectadas. No Reino Unido, como um todo, as mulheres com soro AFP níveis acima de 2-5 vezes o normal mediana em 16-18 semanas de gestação terá uma oportunidade de aproximadamente 1-em-20 de ter um feto com espinha bífida; o risco de ter qualquer NTD será de aproximadamente 1 em 10. Os resultados deste estudo indicam que a triagem mulheres grávidas através da medição da concentração de AFP no seu soro é um método eficaz de seleccionar mulheres para ultra-som e amniocentese de modo que DTN pode ser diagnosticada no útero.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/69055



Texto Original

Nineteen centres collaborated in a study to determine the efficiency of maternal serum-alpha-fetoprotein (A.F.P.) measurement as a method of screening for neural-tube defects (N.T.D.S.) between 10 and 24 weeks of pregnancy. Data were collected on 18 684 singleton pregnancies and 163 twin pregnancies without fetal N.T.D.s, and on 301 singleton pregnancies with fetal N.T.D.s (146 with anencephaly, 142 with spina bifida, and 13 with encephalocele). The best time for detecting open spina bifida by measuring maternal serum-A.F.P. is at 16-18 weeks of pregnancy. In clinical practice, serum-A.F.P. cut-off levels expressed as multiples of the normal median may be more convenient to use than percentiles because they are easier to derive and more stable. Also, the proportion of affected pregnancies with serum-A.F.P. levels exceeding a given multiple of the median is unlikely to vary significantly from centre to centre or over time. In contrast, the proportion of unaffected pregnancies with A.F.P. levels exceeding a given multiple of the normal median will vary depending on the precision with which serum-A.F.P. and gestation are measured. At 16-18 weeks of pregnancy 88% of cases of anencephaly, 79% of cases of open spina bifida, and 3% of unaffected singleton pregnancies had A.F.P. levels equal to or greater than 2-5 times the median for unaffected singleton pregnancies. At this gestation age the numbers of unaffected pregnancies with A.F.P. levels above 2-5 times the normal median can be reduced by about a third if women with borderline A.F.P. levels are retested, although this would not greatly change the detection-rate of affected pregnancies. In the United Kingdom as a whole, women with serum-A.F.P. levels above 2-5 times the normal median at 16-18 weeks of gestation will have an approximately 1-in-20 chance of having a fetus with open spina bifida; the risk of having any N.T.D. will be approximately 1 in 10. The results of this study indicate that screening pregnant women by measuring the concentration of A.F.P. in their serum is an effective method of selecting women for ultrasonography and amniocentesis so that N.T.D.s can be diagnosed in utero.

Desenvolvimento WSB