Você está em - Home - Artigos - Comparação de índices Doppler das artérias uterinas em uma população de alto risco para resultados adversos em 24 semanas de gestação.

Comparação de índices Doppler das artérias uterinas em uma população de alto risco para resultados adversos em 24 semanas de gestação.

Para comparar artérias uterinas velocidade Doppler e índices de impedância na presença e ausência de ranhuras de forma de onda da artéria uterina, na previsão do resultado adverso da gravidez em mulheres de alto risco.
Cento e 57 mulheres identificadas na triagem Doppler como sendo de "alto risco" foram submetidos a uma nova avaliação Doppler das artérias uterinas em 24 semanas de gestação. Pulsatilidade e resistência índices e mínimos, o tempo de média e tempo média velocidades máximas foram medidos, e na presença de entalhes bilaterais observou. Efeitos adversos foram pré-eclampsia, peso ao nascer menor que o percentil décimo, descolamento prematuro da placenta e morte intra-uterina. O melhor cut-off para cada parâmetro foi avaliado por meio de regressão logística univariada, eo desempenho comparativa dos parâmetros de rastreio foi avaliada utilizando valores de kappa.
A melhor índice desempenho na presença de entalhes bilaterais foi o índice de resistência média, para um cut-off de 0,67, dando um valor de kappa de 0,65. O índice de pulsatilidade e menor índice de pulsatilidade realizado igualmente bem, ambos com valores de kappa de 0,58. Todos os índices de velocidade além da menor velocidade mínima teve valores de kappa <0,4. Quando os índices foram analisados, independentemente do estatuto entalhe, a resistência média e média, índices de pulsatilidade obteve resultados semelhantes, com valores de kappa de 0,49 e 0,46, respectivamente; velocidade média mínima teve um valor kappa de 0,4.
Em uma população de alto risco, Doppler das artérias uterinas em média, índices de resistência desempenho melhor do que os índices de velocidade na previsão do resultado adverso da gravidez, independentemente do estatuto entalhe.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12601841



Texto Original

To compare uterine artery Doppler velocity and impedance indices in the presence and absence of uterine artery waveform notches, in the prediction of adverse pregnancy outcome in high-risk women.
One hundred and fifty-seven women identified at Doppler screening as being at 'high risk' underwent a further uterine artery Doppler assessment at 24 weeks' gestation. Pulsatility and resistance indices and minimum, time averaged and time averaged maximum velocities were measured, and the presence of bilateral notches noted. Adverse outcomes were pre-eclampsia, birth weight less than the tenth centile, placental abruption and intrauterine death. The best cut-off for each parameter was assessed by univariate logistic regression, and the comparative performance of the screening parameters was assessed using kappa values.
The best performing index in the presence of bilateral notches was mean resistance index, for a cut-off of 0.67, giving a kappa value of 0.65. Mean pulsatility index and lowest pulsatility index performed similarly well, both with kappa values of 0.58. All velocity indices apart from lowest minimum velocity had kappa values of < 0.4. When indices were analyzed, irrespective of notch status, mean resistance and mean pulsatility indices performed similarly, with kappa values of 0.49 and 0.46, respectively; mean minimum velocity had a kappa value of 0.4.
In a high-risk population, uterine artery Doppler mean resistance indices perform better than do velocity indices in the prediction of adverse pregnancy outcome, irrespective of notch status.

Desenvolvimento WSB